O Poderoso na Bienal – parte 1

Consegui ir na Bienal esse Sábado – o segundo dia de evento.

Não preciso nem dizer que estava lotado ou quente ou que alguns stands tinham filas enormes. Isso tem um ponto positivo e negativo. Positivo porque eu fico realmente feliz de ver tanta gente animada por causa de livros. Me dá uma certa fé perdida na humanidade. Negativo porque algumas filas realmente foram mal coordenadas e virou uma bagunça.

Passei pelos stands gigantes da Saraiva mas já me decepcionei…os livros estavam COM O MESMO PREÇO da loja. É ridículo. Eu não esperava promoções absurdas da Saraiva mas o mesmo preço é chamar as pessoas de tontas. Seguimos em frente.

O primeiro stand que entrei foi o da Alfaguara – que adorei logo de cara. Primeiro: ótimos preços (alguns livros estavam com 50% de desconto) e eles disponibilizaram vários clássicos em estilo pocket a R$ 5,00. Pontos extras! Além disso, o pessoal deles foi super prestativo e carregava listas de preço nas mãos para tirar suas dúvidas na hora. E também tinham aquelas máquinas para vc poder checar o preço por conta própria. Logo de cara comprei 7 livros. O maior problema dessa stand foi a fila. Ficamos meia hora na fila esperando para pagar.

Livros comprados (os livros que não têm preço é porque não lembro quanto paguei):

O sonho do Celta – Mario Vargas Llosa

Tia Julia e o escrivinhador (edição de bolso) – Mario Vargas Llosa – Preço Bienal $ 5,00 – Preço Saraiva R$ 23,90

O desfile de Páscoa – Richard Yates

A verdadeira vida de Sebastian Knight – Nabokov Preço Bienal R$ 18,00  – Preço Saraiva R$ 34,90

O mundo é bárbaro – Luis Fernando Veríssimo (edição de bolso) – Preço Bienal R$ 5,00 – Preço Saraiva R$ 13,50

O bom soldado – Ford Madox Ford – Preço Bienal R$ 18,00 – Preço Saraiva R$ 38,90

Os cadernos de Don Rigoberto – Mario Vargas Llosa (edição de bolso)Preço Bienal R$ 5,00 – Preço Saraiva R$ 18,30

Alguns stands estavam impossíveis de entrar – Intrínseca, Arqueiro e Leya por exemplo. Então ficamos batendo perna e procurando bons preços em outros stands.

O stand seguinte foi o da L&PM que parecia menor mas estava bem recheado e cheio de gente. Os preços não estavam muito diferentes do que vemos no site da própria editora ou no das livrarias. Comprei 4 livros que eu já queria há algum tempo (ainda que os preços não fossem os melhores):

Édipo Rei – Sófocles – Preço Bienal R$ 12,00 – Preço Saraiva R$ 9,60

Profissão para mulheres e outros artigos feministas – Virgina Woolf – Preço Bienal R$ 10,00 – Preço Saraiva – não encontrei

Notas de um velho safado – Bukowski – Preço Bienal R$ 19,00 – Preço Saraiva R$ 19,00

Cartas na rua – Bukowski – Preço Bienal R$ 19,00 – Preço Saraiva R$ 19,00

Andamos um pouco mais e achei um stand pequeno – se não me engano da editora Loyola – que tinha um bacião de livros a R$ 5,00 e R$ 10,00. Achei uma edição muito boa sobre a vida de Walter Cronkite – âncora famosíssimo norte americano – por R$ 10,00 (não encontrei na Saraiva, mas a edição em inglês do livro custa R$ 42,10) e comprei para meu pai e, para mim, achei uma edição linda de Fahrenheit 451 por R$ 30,00 (o livro mais caro que comprei na Bienal) – preço Saraiva R$ 32,00.

As filas para comprar comida e bebida estavam grandes e várias pessoas pareciam perdidas. O preço das coisas também naõ estava fantástico mas, considerando que São Paulo é uma cidade cara, a água estava a R$ 2,50 que é um preço bem padrão. Parei no lugar mais vazio para comprar água e não tinha mais água gelada. Estava saindo tão rápido que não dava tempo de gelar. Isso porque os ventiladores do Anhembi não faziam diferença quase nenhuma.

E bora bater perna! Encontramos um stand com bons preços para “livros do momento”, vamos dizer assim. O único problema era a luz amarela que ficava em cima das estantes que era tão forte que esquentava ainda mais o ambiente – que já não estava super fresquinho. Mas enfim, o stand não tinha filas e fomos atendidos rápido. Ali foram 3 livrinhos:

A maldição do tigre – Preço Bienal R$ 19,90 – Preço Saraiva R$ 24,90

O trono de fogo – Rick Riordan

Como Proust pode mudar sua vida – Alain de Botton

Os braços já doíam de carregar livros quando encontramos um outro stand pequeno, daqueles que ficam nos cantos que quase ninguém vai, vendendo 4 livros por R$ 10,00. Quase pulando de felicidade feito criança vendo o mar pela primeira vez comprei:

Crepúsculo dos ídolos – Nietzsche – Preço Bienal R$ 2,50 – Preço Saraiva R$ 12,90

O homem dos quarenta escudos – Voltaire – Preço Bienal R$ 2,50 – Preço Saraiva (não encontrei)

Cartas Persas I – Montesquieu – Preço Bienal R$ 2,50 – Preço Saraiva R$ 4,90

Cartas Persas II – Montesquieu – Preço Bienal R$ 2,50 – Preço Saraiva R$ 4,90

E depois de duas horas e meia, com as pernas doendo não aguentamos andar mais.

Valeu super a pena e quero ir de novo para tentar entrar nos stands que não consegui ir nesse dia. A minha reclamação maior é: R$ 30,00 para o estacionamento é um roubo. Você tem que estacionar em um lugar aberto e, muitas vezes, longe da entrada porque o Anhembi é gigante. Enfim…não me parece um preço justo.

De qualquer maneira, a Bienal está linda e há promoções boas se você tiver saco e perna para encontrá-las. Recomendo levar uma lista de livros que você quer e pesquisar antes os preços das livrarias convencionais para não levar gato por lebre. Eu demorei um pouco mais em alguns stands justamente para checar minha lista e ver se os preços estavam mais em conta. Além disso, estipulei um limite total do que eu poderia gastar e um limite no preço do livro individual. Então tentei ao máximo ficar dentro disso para não ter surpresas no futuro. Não encontrei nenhum stand que deixasse parcelar as compras.