Semana De Cinema – Os Mercenários 1 & 2

Eis um filme com alto índice de testosterona no ar, filme para macho, filme para homens resgatarem os anos de brutalidade perdida, filme para galera aprender a como fazer filme de porrada, filme para resgatar o gênero Ação e Aventura em sua essência máxima, filme para tirar do ostracismo astros dos anos 80. Eis algumas denominações cabíveis para designar Os Mercenários 1 e 2 (que estreia esse fim de semana).

Sylvester Stallone convoca a patota toda dos filmes que prevaleceram nos nostálgicos anos 80 e 90 para resgatar uma fórmula que fazia sentido e funcionava plenamente. Fazia sentido pelo fato de que o ideal macho sempre foi concebido dessa maneira – homens saindo na porrada, atirando contra todos os inimigos e salvando a mocinha – mas hoje em dia talvez não, e funcionava plenamente pois se lembrarmos bem, os protagonistas daquela época eram BEM diferentes dos protagonistas dessa presente época – músculos, lutas, ira contra a vilania e MUITA bala. Posso dizer que muitos filmes atuais, em estilos diferentes, são reinvenções (funcionais ou não) de filmes antigos, mas Os Mercenários tem algo a mais. Além de uma reunião de velhos e não mais atuais heróis de filmes de ação, Mercenários é também uma desforra generalizada do que significa ser macho ou BRUTO. Não que as mulheres que assistem tal tipo de filme prefiram tal significação, mas os principais atores de hoje em dia, são SIM um bocado “retraídos” e até “afetados”. O que há de melhor no contexto cinematográfico em filmes de porrada e aventura está aqui. Se algum ator, consagrado, das antigas, estava faltando, alguns deles foram convocados para participar do segundo. Chuck Norris e Jean Claude Van Damme aparecem e as participações de Arnold Schwarzenegger e Bruce Willis são maiores. Faltou mais alguém? Bom, podemos contar aqui o Mel Gibson, Harrison Ford, Jackie Chan, Wesley Snipes, Steven Seagal, Clint Eastwood, Michael Dudikoff (America Ninja), Kurt Russel, Chistopher Lambert (Highlander) , Liam Neeson, mas todos esses, pode ser querer DEMAIS (quem sabe alguns estarão no 3º).

A história do filme gira em torno de um grupo de mercenários que recebem uma bela proposta financeira (é isso que os mercenários fazem não é?)para destruir um ditador de um pequeno país. Inicialmente tal proposta iria para um grupo rival, mas em um encontro dentro de uma Igreja – o que é genial, pois quem imaginaria 3 valentões discutindo massacre dentro de um lugar religioso – onde um sujeito chamado Sr. Church (convenhamos que foi legal isso) acerta quem irá realizar a façanha de destruir um pequeno exército tirânico. Depois de fazer o reconhecimento do local e dar de cara com a mocinha, Stallone fica em crise se aceita o trabalho ou não, mas o fato é o seguinte, a bela rebelde que luta contra a opressão precisa do herói destemido capaz de salva-la (M A R A V I L H A). Um dos integrantes dentre os Mercenários (o gigante Dolph Lundgren) no inicio de filme, em um outra missão, dá tilt e quase mata um dos seus amigos, afastado, vai até a galera do ditador (que é apunhalado pelas costas pelos comparsas americanos que querem se aproveitar do pequeno país, logo quando esse se sente o chefão) e ajuda em uma emboscada contra os seus, outrora, companheiros, mas o líder do grupo (Stallone) sai ileso, junto com o chinês expert em artes marciais (Jet Li). O doidão então pede desculpas pelo surto e conta que uma encrenca os aguarda. Pronto enredo finalizado, história criada e agora é só partir para pancadaria e isso é feito com primazia e excelente trabalho dos dublês. Em tal filme temos campeões de luta MESMO. Jet Li é mestre em Kung Fu, Dolph Lundgren é mestre em Karatê e Randy Couture é campeão de M.M.A, Jason Statham já lutou profissionalmente e Steve Austin foi lutador de Wrestling, precisa de mais? Creio que já é o suficiente.

Bom, na verdade estou enganado, pois no 2º temos o MASTER “Último Dragão Branco” and “Kickboxer” Van Damme e Chuck Norris (campeão de Karatê e que já lutou contra Bruce Lee…) que verei com absoluta certeza. Aguardemos ansiosamente.

O 1º filme vale muito a pena, não somente como entretenimento ou farra 80tista, mas também para enfatizar que o cinema pode trabalhar legal alguns enredos desprovidos de uma realidade enfática. Filmes de ação são para PROPORCIONAR ação e aventura à quem gosta e um contexto cheio de explosões, tiroteio com garantia de alvo certo, porrada com altas coreografias é o que mais interessa.