5 às 5as – Livros de guerra (não – ficção – 2a Guerra Mundial)

Livros de guerra! Sim…5 livros de não – ficção sobre a 2a Guerra Mundial que super recomendo para os interessados no assunto.

E os vencedores são:

1 – Noite – Ellie Wiesel: um dos relatos mais sinceros, diretos e pesados que você poderia ler sobre a 2a Guerra Mundial. É um livro curto que te chama a refletir sobre a vida e sobre o que aconteceu nos campos de concentração, mas mais do que isso, é um livro que não te deixa escolha a não ser tomar uma posição. O peso da escrita de Wiesel é exato para que qualquer leitor entenda o impacto físico e mental que um campo de concentração teve no um menino que estava cogitando seguir a carreria religiosa mas que se viu perdido no meio de tanta maldade.

2 – Futebol e guerra – Andy Dougan: esse livro conta a história do Dínamo de Kiev – um dos times europeus mais fortes na época em que a Segunda Guerra Mundial começou. A Ucrânia foi invadida pelos nazistas e o Luftwaffe (time da força aérea alemã) desafiou os jogadores que restaram do Dínamo para uma partida – onde claro, todas as regras estavam a favor dos nazistas.  Essa foi literalmente uma partida de futebol pela vida. Apesar das injustiças cometidas em campo e das consequências brutais, os jogadores do Dínamo se recusaram a entregar o jogo criando o primeiro exemplo ucraniano de resistência aos alemães. É uma leitura emocionante.

3 – O diário de Anne Frank – Anne Frank: como eu acho que todo mundo já leu esse livro, não vou me estender muito sobre ele. Esse foi uma leitura obrigatória na escola e foi o primeiro relato que li da 2a Guerra Mundial. O fato de ser escrito por uma menina que tinha mais ou menos a minha idade na época, foi algo bem forte e acho de verdade que despertou meu interesse maluco por relatos de guerras. Vale muito a pena incentivar seu filho(a) a ler esse livro.

4 – O salto para a vida – Célia Valente: outro livro que li na escola. A história de Lea Mamber – judia polonesa que reside no Brasil (se ainda estiver viva – realmente não sei) – que conseguiu fugir de um dos trens nazistas. Léa se tornou uma mulher de mil faces depois de fugir, chegou a assumir uma identidade alemã e viver entre o povo que acabara de assassinar sua família. É um bom livro também para jovens começarem a entender o escopo de uma guerra como essa. Leitura rápida e objetiva mas ainda assim triste.

5 – Cinco dias em Londres – John Lukacs: esse é um livro um pouco diferente dos outros dessa lista. Apesar de muitos acreditarem que a vitória contra o nazismo se deu apenas com a entrada dos EUA na Guerra, esse livro mostra que o primeiro ministro inglês – Churchill – travou uma batalha em seu próprio gabinete de guerra se recusando a assinar um tratado de paz com os nazistas em 1940. Essa decisão alterou profundamente o caminho que a guerra levou e colocou a Inglaterra no plano de frente na luta contra os nazistas. É uma leitura um pouco mais documental mas serve para entendermos como a guerra é ‘decidida’ nos âmbitos governamentais.

Boa leitura! =)