Semana de Cinema – Sem Limites

Esse filme me interessou demais da conta pela evidente premissa de que um literato pode chegar ao ápice de suas possibilidades e também pela maneira que a história se desenvolve a partir dai. De cara já fui mega entusiasmado a procura do filme. Sem Limites pareceu muito propenso a me proporcionar o que mais me chama a atenção no momento, que é o desejo de ser escritor.

A trama começa com um desanimado autor – Eddie Morra – que se vê, sem a namorada e também, sem qualquer criatividade capaz de acrescentar enredo nas folhas em branco que está a sua frente. Ao encontrar um ex-cunhado, tem a possibilidade de experimentar uma droga experimental (!!!) capaz de elevar a capacidade cerebral à níveis jamais antes vistos, claro que todo o ar de “droga” que existe na conversa, o deixa meio que de pé atrás, mas depois, ao se ver quase que no fundo do poço, sem ter mais o que perder, decide tomar a pílula e descobre um mundo COMPLETAMENTE novo. Tudo à sua volta fica claro, se torna óbvio, e ridiculamente fácil.

Com o tempo vai ganhando confiança e percebe que pode aprender tudo (línguas aprende só de ouvir), saber tudo (lendo uma única vez) e enfrentar à todos (se defende recordando filmes de artes marcias), a ponto de se sentir invencível. Um erro que todo viciado comete quando se esquece dos perigos que a droga, que consome, pode oferecer. Um efeito colateral deveras prejudicial e mortal, ronda aqueles que já “testaram” a tal droga e Morra, além disso, tem que enfrentar alguns mal elementos que passam pela sua vida.

Sua caminhada meteórica ao topo do mundo encontra pelo caminho parceiros nada leais, mafiosos inescrupulosos e criminosos violentos. De um escritor medíocre, que entrega em poucos horas metade do que pode ser uma excelente obra, segue como um fantástico investidor no mercado de ações e conhece pessoas influentes e poderosas. Seu mundo agora parece não ter mais limite, até se ver envolvido com quem não devia e observar sua vida, maravilhosa, indo pelo ralo. Mas sua inteligência não serve apenas como um fio condutor só para gerenciar o sucesso, serve também para assegurar um entendimento de tudo que está de errado e de como é possível dar a volta em todos os problemas.

Nada está perdido para aquele que possui todos os recursos.

O filme possui vários conceitos organizacionais e de desenvolvimento pessoal também, o que o torna mais verossímil na busca pela perfeição ou excelência. A 1ª coisa que o protagonista faz, é deixar tudo a sua volta organizado, limpo e descarta aquilo que não é importante. Preserva as prioridades, foca no que é importante e se concentra naquilo que faz a diferença. Simples assim.

Um comentário em “Semana de Cinema – Sem Limites

  1. Rafa Fonseca disse:

    Esse filme realmente é sensacional! Depois de ver o filme procurei na internet se era possível fazer tal droga, e não é que existe um NZT na vida real, baseado no filme mas não com mesmo efeito. Mas cientistas dizem que ainda é possível um dia fazer esta droga que aumenta a capacidade cerebral dos humanos. E é lógico que os primeiros a conseguir serão os detentores do poder em busca de mais poder e isto atrasaria em muito para que chegue aos humildes mortais que tem pouca chance em ser alguém nesse mundo. Bom, isto se é que ela não existe… Abraços Ragner e bom texto!

Participe do debate!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s