Domingo dos Quadrinhos – Maurício de Sousa por 50 Novos Artistas

Maurício de Sousa por 50 Novos ArtistasMaurício de Sousa é o quadrinista mais conhecido do Brasil e responsável por personagens reconhecidos em diversos lugares do mundo (em menor grau do que por aqui, obviamente). O alcance da sua obra é inquestionável e impressionante.

Em 2011, a Panini lançou o terceiro volume de uma série que buscou homenagear os 50 anos de carreira de Maurício, com artistas recriando os personagens clássicos da Turma da Mônica. Foram convidados 50 artistas, desde totais desconhecidos em início de carreira a nomes já um tanto conhecidos entre entusiastas dos quadrinhos, como Mike Deodato Jr., Adão Iturrusgarai, Daniel HDR, Luke Ross, entre outros.

Algumas histórias agradam pela bela arte, outras divertem pela perspectiva alternativa sobre os personagens, outras ainda dão uma certa saudade do traço original, como seria de se esperar em uma coletânea deste tamanho. Mas, de modo geral, os artistas foram muito bem escolhidos e o nível se mantém entre as histórias.

Pessoalmente, algumas histórias me agradaram muito mais do que outras. Mas prefiro que interessados formem sua própria opinião sobre isso. Para quem gosta da Turma da Mônica ou de quadrinhos em geral, esta é uma HQ para ter, ler com atenção e de vez em quando dar mais uma olhadinha. Boa ideia e boa execução.

 

Semana de Cinema – Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros

Abraham Lincoln: Caçador de VampirosFui assistir a esta aparente pérola do cinema esta semana. E não é que fui surpreendido?

A proposta do filme é tão esdrúxula quanto curiosa: Abraham Lincoln, o presidente americano na época da Guerra Civil que colocou frente a frente as metades Sul e Norte dos Estados Unidos da América, teria combatido também uma invasão de vampiros. Exatamente.

O filme vale como um bom filme de ação, tendo utilizado muito bem as vantagens do 3D, com enquadramentos que aproveitam bem as características da nova tecnologia. Além disso, a presença de Tim Burton entre os produtores garante a atmosfera já conhecida dos fãs dos filmes por ele dirigidos.

Lincoln é apresentado em sua infância, conhecemos seus pais, o episódio que o levou a odiar os vampiros e o episódio em que conhece a guerra (entre humanos e vampiros) que acontece sem que ninguém saiba. A partir daí, uma série de batalhas com vampiros e o início de sua vida social e política são mostrados, culminando em uma aparente aposentadoria.

Daí pra frente é que o filme fica melhor ainda, com sequências envolvendo um personagem muito mais parecido fisicamente com o presidente americano e também muito mais maduro e sábio. As cenas com o estouro de cavalos e o trem são realmente bem feitas e envolventes.

Por incrível que pareça, desfaça-se dos seus preconceitos e vá ver esse filme. Vale a pena.

Domingo dos Quadrinhos – Star Wars (Série da Ediouro)

Star Wars 1Demorou mas saiu! Quase que o domingo acaba sem Domingo dos Quadrinhos, mas felizmente conseguimos providenciar a tempo!

Em 2005 a editora Ediouro inaugurou um braço de quadrinhos com a publicação de uma série mensal de quadrinhos de Star Wars, originalmente publicados pela Dark Horse Comics nos Estados Unidos. Apesar de interrompida em 2006, a revista chegou a trazer diversas histórias completas, que compensam de longe para o fã do universo criado por George Lucas.

Como exemplos da qualidade desta série, temos as duas primeiras histórias completas, que aparecem entre os números 1 e 4 da revista mensal: a primeira delas, Obsessão, se passa meses antes do episódio III (A Vingança dos Sith) e apresenta Obi-Wan Kenobi e Anakin Skywalker perseguindo uma inimiga chamada Ventress. Com traços muito bons (e agressivos), combinados a um roteiro que prima pelos detalhes e pela aderência ao mundo criado para a série de filmes, Obsessão é uma história que agrada a qualquer fã de Star Wars.

A segunda história completa publicada na revista, chamada Temporada de Caça, apresenta a origem do mercenário Jango Fett. Para quem se lembra, Jango foi o homem utilizado como base para criação dos clones, os Stormtroopers. A história também é muito bem desenhada e roteirizada, e vale inclusive para “não tão fãs”, porque funciona bem como uma história em quadrinhos isolada.

Esta série deve ser fácil de encontrar em sebos, e interessa demais a quem é apaixonado pelos filmes e quer saber mais sobre este universo. Recomendado.

 

Resenha – A vingança

A vingança é o segundo livro da série de Christopher Reich. Para saber sobre A Farsa – primeiro livro – clique aqui. Se continuar lendo, encontrará alguns SPOILERS do primeiro livro.

Você foi avisado.

O segundo livro começa exatamente onde o primeiro terminou. Emma foge e Jonathan está perdido entendendo apenas uma parte da coisa toda e sem saber o que fazer. Isso quer dizer que o livro já começa em um ritmo frenético e, seguindo o que o autor fez no primeiro livro, cada capítulo acrescenta intensidade sem revelar muita coisa.

Jonathan está tentando seguir sua vida enquanto espera Emma aparecer. Até que ela decide que precisa ir embora para sempre. Afinal, ela agora é a caça – a “inimiga n.1” dos Estados Unidos. Emma agora é uma fugitiva apesar de Jonathan não entender bem o impacto disso em suas vidas.

Na verdade, é possível perceber certa ambiguidade em relação a Emma. Ela não está apenas fugindo, ela está operando. Mas não sabemos para quem ou o motivo. E aparentemente ela tem uma relação pessoal com um determinado terrorista. Isso faz com que o livro continue um mistério total mesmo quando se está na página 250.

O que dá o tom de “quero saber mais” dessa vez é que em dado momento, Jonathan também passa a ser o alvo da polícia londrina. Isso porque, não vou entrar em detalhes, mas ele se vê bem no meio de um atentado muito sério e se torna o principal suspeito. O que a gente quer saber é como isso tudo vai ser resolvido.

“A vingança” mantém a sensação de “quero terminar logo o livro” porque aguça a curiosidade do leitor a todo momento. Cada capítulo traz mais informações e o quebra-cabeça, ao invés de começar a se solucionar, fica mais confuso. Um mérito de Reich.

É claro que algumas coisas são forçadas e às vezes você pode sentir que está vendo um daqueles filmes do Bond onde ele consegue levantar um avião que está caindo e pular para outro que também está caindo e fazê-lo planar normalmente ou, como chamamos atualmente: mimimi Hollywoodiano. A verdade é que eu estava começando a ficar irritada com um médico que sem qualquer tipo de treinamento em espionagem consegue escapar da polícia com tanta facilidade. Ele não poderia ter se tornado espião por osmose. Ou poderia?

Com tudo o que li no primeiro livro, eu realmente esperava algo mais nesse. Algo menos óbvio. De qualquer forma, é um bom livro para passar o tempo. E, infelizmente, é só.

Domingo dos Quadrinhos – Incal

image

Moebius é um dos principais nomes dos quadrinhos europeus. Seus desenhos detalhados e com estilo próprio o levaram a tal lugar, junto com a sua tendência a criar universos fantasiosos complexos.
É com isto em mente que pus as mãos em Incal, uma fantasia publicada originalmente em vários volumes e posteriormente agrupados na edição publicada no Brasil. E o mundo fantasioso de Moebius está lá.
Só que Incal é ainda mais fantasioso. Para ser bem sincero, Incal é uma viagem completa em vários sentidos; desde o mundo criado até os nomes usados (leiam para entender) e o final, surpreendente.
O final, aliás, consagra a obra; a HQ começa como uma história de fuga passada no futuro, evolui para uma dinâmica meio Guerra nas Estrelas e termina, quando você menos espera, num final inacreditável.
Incal é recomendado para quem já leu muitos quadrinhos e gosta de ficção científica. Para os outros, melhor começar por algo um pouco mais “pé no chão”.