Resenha – Travessuras da Menina Má

Um livro que retrate bem uma realidade conturbada dos relacionamentos humanos e que ao mesmo tempo seja uma ficção. Eis um dos motivos que me fez gostar muito desse livro. Claro que só tive essa certeza depois de ler.

Travessuras pode, sem dúvida, estar incluído entre os livros que teriam lugar privilegiado em minha biblioteca. A história percorre o tempo, percorre o espaço, percorre amores, dores, sentimentos, encontros e desencontros. Começa no Peru durante a juventude do protagonista e termina… Bom, melhor não dizer, mas posso adiantar que termina com ele já bem mais velho.

A vida pode muito bem nos indicar caminhos diferenciados, indicar sugestões de possibilidades variadas, mas o eterno retorno é uma consequência inevitável. Isso foi algo que percebi muito bem em toda a história, o eterno retorno.

O amor é um sentimento que não necessita de explicações extravagantes, bom, talvez só a extravagância possa compreender tal sentimento, mas nenhum tipo de “tentativa” explicativa consegue definir o que o amor verdadeiramente representa, e isso é muito bem representado nessa história que atravessa décadas. O protagonista é um exemplo real de como tal sentimento é existencial, doloroso, caloroso, excitante, prazeroso e muito agradável. Exemplo de como um homem pode sentir o amor que várias mulheres duvidam, de como um homem pode demonstrar estar apaixonado, de como sofre e assim, ser visto como um idiota passional pelas mesmas mulheres que querem que sejamos românticos.

O livro envereda por questões sociais bem reais, conta a história verdadeira, pelos olhos de personagens fictícios. Mas toda realidade palpável e consequente do que aconteceu em cada década em questão, está ali, presente. E não é só o tempo que se faz vivo, lugares também são exibidos com alta veracidade.

Poderia ser a minha história ou de qualquer outro leitor que se deixa envolver por contingências do destino e olha que eu não acredito em destino. Poderia ser a história do teu pai, do teu avô e qualquer outro homem que você conheça. A história é tal verdadeira, que poderia ser a história de qualquer um.

O livro é excelente e é uma maravilhosa escolha para dias chuvosos ou com o sol a pino, já que, além de todo momento ser bom para leituras boas, o livro tem momentos que se encaixam em qualquer ocasião.